Infância

Aquela fase…sabe?

Março_2016_Toronto:
Não importa o século, década ou ano. Os adultos ditam as regras. E o que acreditam, torna-se verdade para aquele momento histórico. Já reparou nas frases que cansamos de ouvir e repetir: “meu filho tá naquela fase lalakala…” – com 2 anos eles estão na fase terrível…” – com 3 entram na fase dos porquês…Com 4 já se governam, quero só ver na adolescência…”

Imagine o mundo do avesso e a criança comenta com outra:

-Meu pai tá naquela fase…quase 42, sabe? Que chega em casa, toma cerveja artesanal e vê uma série da moda na TV. Aquela fase que se acomoda, o mundo torna-se um lugar perigoso e tudo que ele diz e faz é certo e seguro. Mas tô feliz porque passou da fase de jogar videogame e agora deixa pra mim”

– Minha mãe tá naquela fase de crise de identidade, sabe? Cada semana é um detox diferente, faz yoga e grita por qualquer coisa…Acha que virou budista. Aquela fase complicada na virada dos 35, fica em dúvida se ama trabalhar até tarde ou é um pouco escrava do mercado…não saber se quer mudar pra Tailândiao, virar pop star ou comprar uma bicicleta.”

Então é isso. Julgamos desde a concepção a alma que está por desabrochar. Nasceu? Quando vai dormir? Quando vai ter dente? Engatinhar? Andar? Falar? Sair de casa?

E para quê tanta pressa por coisas tão naturais? A melhor forma de formar um adulto ainda é pensando na criança como um futuro adulto. Pensando nela como alguém que precisa ser guiado, ter limites para andar melhor no mundo, para se sentir mais tranquila enquanto se desenvolve. Talvez podemos dar o exemplo mostrando que ser adulto é pesado, muda a vida, mas é isso, não há vida sem transformação. E não há transformação indolor. Viver anestesiado não funciona.  Só julgar e constatar e rotular é o que fazemos uns com os outros nessa fase em que estamos hoje.

E fizemos também com as crianças. Nos aproveitamos da posição de dar as cartas do jogo. Sem perceber que ao jogar, elas compreendem certas regras e podem querer fazer o mesmo quando chegar sua vez.

Ao invés de dizer que teu filho está ‘naquela fase’, não seria melhor observá-lo antes? De repente ate já mudou e não notamos. Perceber o ambiente também ajuda a entender as crianças. Nunca teríamos os mesmos problemas com a energia excessiva deles se não tivéssemos nos metido numa vida artificial e urbana. Eles são seres mais naturais que nós…ainda não passaram pelo processo de artificializacao. No meio da natureza seriam normais, não haveria nada para quebrar, sujar etc.

Nada é simples quando se trata de escolher como criar um filho pequeno, pois isso implica e muito nas escolhas do nosso viver cotidiano. Em que cidade, em que país, o que fazer no final de semana, o que comprar, como priorizar o tempo…são sempre dilemas que as famílias que já tem o que comer, vivem. Divago por aqui para compartilhar as dúvidas. Se houvesse fórmula, seríamos rodeados de adultos satisfeitos com suas vidas, suas emoções…e nada de crescimento de farmácias, nem de escalada record de antidepressivos.

A infância pode ser menos julgada e mais compreendida. Se não tivermos nada a fazer a respeito, melhor dormir em paz, pois trabalhamos todos no limite das nossas forças. E também um dia fomos crianças moldadas à mercê do que acreditavam os adultos de outra era.

Quando Luna nasceu eu já era passarinha migrante retirante, morando em Toronto e com o coração solto no mundo. Vivo querendo dar um tombo na rotina e sair voando por ai, sem rumo. Um dia me defini como gaúcha, colorada escorpiana e advogada. Hoje não tenho mais pretensões definidoras. Já entendi que somos transformações pesáveis. Sou um pouco escritora, fotógrafa amadora, inquieta faceira e viajante por qualidade de alma. Ser livre, pelo menos acreditar que tenho escolha é o que me faz viver e crer que a vida é boa. Estou aqui online, mas sou quase analógica. Movida a vinho, lápis, livro e caderninho. Chamego e leveza são palavras que me abraçam. Abri esse canal pra conversar contigo. Quero saber de ti...o que te move, corazon?

0 comentário em “Aquela fase…sabe?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: