Primeiros Meses

Ser mãe em Toronto…

Toronto_outubro 2013_Luna 11 meses:
Ser mãe em Toronto (ou qualquer cidade grande pelo mundo) é…

Ser acima de tudo, uma valente. Ou uma ingênua completa. Ou as duas coisas, afinal, uma não anula a outra. Ser louca de amor e ficar louca de exaustão; quase arrancar os cabelos por não ter ajuda; se sentir impotente e poderosa em horas intercaladas; pensar que esses sentimentos nos arrebatam porque somos imigrantes, num país de imigrantes. E depois, depois de alguns meses reconhecer o suporte comunitário existente ao redor. Digo reconhecer, pois existe um tempo que flanamos no ar, a procura de um chão fofo para pisar, não há nada que se possa fazer a não ser viver essa etapa. Vai melhorar! O tempo nesse caso, como em outros tantos tem um poder de cura. E mais uma vez saímos mais fortes, mais completas.

Demora para cair a ficha de que todas passam pelos mesmos dramas, as canadenses também não tem muita família ao redor e costumam tirar um ano de licença para cuidar do rebento, solitas. Enfim, muitas mulheres, um mesmo barco. Não só aqui, mas em qualquer grande cidade onde a pequena nova família esteja deslocada da família original, pela distância física. Sem avós, sem babás, sem desejar creche antes de 1 ano, a mulher tem que encarar a missão de se transformar. Mas temos os amigos, sempre tão importantes. Lembro de uma querida amiga que não tem filhos, mas pretende ter logo, ela comparece bravamente na rotina de suas amigas-mamas, com essa ideia em mente: você sou eu amanhã. E não há nada mais humano e generoso que se colocar no lugar do outro. Diria que ela me parece madura, esperta e doce, vai ter o apoio de volta, merecidamente. Para quem nao tem uma dessas por perto, fica a dica de programas como esse da placa…se quer um tempo, há um fio de esperança!

Para mim, teimosa e estranha, pessoica com dificuldade de caber em agendas, as caminhadas silenciosas no parque, tem efeito mais renovador. Alem de trazer novas amizades pra vida. As novas mães estão nos parques! Fora que nessa fase boa, a Luna já fica em cadeirinha para comer, brinca com todos no café, se diverte no balanço, na grama, em todo lugar…um alento. Minha companheirinha de dois dentes. Mais uma vez, a suave passagem do tempo vem com sua varinha mágica, distribuindo estrelas e milagres pelo caminho.

E para ti? O que funciona melhor?

Quando Luna nasceu eu já era passarinha migrante retirante, morando em Toronto e com o coração solto no mundo. Vivo querendo dar um tombo na rotina e sair voando por ai, sem rumo. Um dia me defini como gaúcha, colorada escorpiana e advogada. Hoje não tenho mais pretensões definidoras. Já entendi que somos transformações pesáveis. Sou um pouco escritora, fotógrafa amadora, inquieta faceira e viajante por qualidade de alma. Ser livre, pelo menos acreditar que tenho escolha é o que me faz viver e crer que a vida é boa. Estou aqui online, mas sou quase analógica. Movida a vinho, lápis, livro e caderninho. Chamego e leveza são palavras que me abraçam. Abri esse canal pra conversar contigo. Quero saber de ti...o que te move, corazon?

0 comentário em “Ser mãe em Toronto…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: