Filha,

Faltam dois dias para teu aniversário. Que é o meu também. Vim pra te lembrar o que ando sentindo nesses dias de amadurecimento dessa fruta que tu é.

Tive tanto medo de engravidar de ti. Tive medo que minha rotina mudasse demais. Tive medo de perder o controle dos meus planos, dos meus sonhos e alterar demais a rota da minha vida. Tive medo de não ser capaz de engravidar. Tive medo de te perder quando soube que tua gravidez, que foi de gêmeos, já havia me dado uma perda. Tu era para ser duas. Ou não. Veio contigo uma alminha com curta missão, de repente era pra te fazer companhia nos primeiros meses do desenvolvimento uterino. A tal sister que tu tanto fala, certamente está aguardando o momento certo para chegar no nosso núcleo suave do amor.

O dia e hora exatos que soube que tu estava dentro de mim foram os mais aterrorizantes que passei. Preciso que saibas. Chorei feito criança perdida. Tive medo demais de não ser capaz de te cuidar, guiar, amar. A minha criança interna talvez ainda não estivesse curada de alguns cuidados que nem eu mesma soube dar, por isso não acreditava que seria uma mãe como gostaria de ser. Essa sensação, filha, foi passando no decorrer dos meses da gravidez. Fui me empoderando e te dando chance de me acalmar.

No dia que completaria 32 anos de vida, tu resolveu dar sinais de que estava na hora de nascer. Foi um assombro, uma magia tu nascer no dia do meu aniversário. Não tive medo nunca mais, Luna. A bolsa estourou e eu já estava pronta, feliz, certa de que éramos destinadas a essa vida em comum.

Almas irmãs, dizem alguns. Algumas horas de trabalho de parto e lá veio tu, toda curiosa e rosada. Nunca, nunca mais nos deixamos. Fomos pele e coração desde aquela madrugada. Nunca sequer tirei leite, meu prazer era te dar de mamar. Ficamos longe uma da outra durante 6 dias em toda tua vida. Tu já contava com 3 anos de afeto materno ininterrupto e transbordante. Meu pai ficou doente no Brasil e tu entendeu na hora que era preciso que a mamãe fosse sem ti, rápido, cuidar do vovô. Tu ficou com teu pai e com a Gi. Eles cuidaram de ti enquanto fui cuidar do meu pai.

Tudo isso, Luna, me diz que formamos um elo sem fim. Algo mais forte que a minha própria infância é o que tento construir aqui. Nós três, uma célula de sobrevivência nesse mundo muito louco em prioridades. As pessoas, filha, são nossa maior fonte de alegria e emoção e choro e tristeza. São os relacionamentos, os vínculos que nos darão força para seguir em frente.

É de amor, sempre de amor, que quero te falar. Conta comigo daqui até a lua e além das dez últimas galáxias encontradas pela Nasa. Até tu conseguir ler isso, sei lá quantas mais teremos descoberto. Somos pequenos, mas somos únicos. Temos uma missão aqui. Descobre qual é a tua e dedica teus dias a ela. Não deixa ninguém lá fora planejar teu futuro, nem eu, nem teu pai. Brilha mais forte e lembre-se que o teu brilho ilumina os caminhos, não seja tímida em brilhar, não pense em magoar ninguém. No momento que tu encontrar tua jornada, estará ajudando muitos iguais a ti a buscar também. E isso é lindo.

Estamos aqui para ajudar uns aos outros, amor. Tenha fé na beleza do coração humano, apesar de tudo que possas ver, viver ou ouvir. Tua vida é um presente. Teime em vivê-la plenamente.

Com lágrimas escorridas nos olhos,

tua mãe.

 

 

Quando Luna nasceu eu já era passarinha migrante retirante, morando em Toronto e com o coração solto no mundo. Vivo querendo dar um tombo na rotina e sair voando por ai, sem rumo. Um dia me defini como gaúcha, colorada escorpiana e advogada. Hoje não tenho mais pretensões definidoras. Já entendi que somos transformações pesáveis. Sou um pouco escritora, fotógrafa amadora, inquieta faceira e viajante por qualidade de alma. Ser livre, pelo menos acreditar que tenho escolha é o que me faz viver e crer que a vida é boa. Estou aqui online, mas sou quase analógica. Movida a vinho, lápis, livro e caderninho. Chamego e leveza são palavras que me abraçam. Abri esse canal pra conversar contigo. Quero saber de ti...o que te move, corazon?

1 comentário em “Carta pra Luna_4 anos

  1. Uma carta de amor pra todas as folhas neste mundo. 💜

    >

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: